Vinícolas do Vale de Casablanca no Chile | Dicas de Viagem

Hello Noivas e Brasil! Hello Casais!!! Em maio de 2018 estive no Chile com meu marido, já mostrei inclusive um destination session que fizemos por lá (clica aqui). Nossa viagem começou pelo Deserto do Atacama (post com a primeira parte da viagem aqui) e na sequência seguimos para Santiago. Essa foi nossa segunda viagem ao Chile. Passamos nossa lua de mel em Santiago em 2012. Então todos os passeios básicos como Viña del Mar e Valparaíso, Concha y Toro; Mercado Central; Cerro San Cristóbal e Cerro Santa Lucía e alguns restaurantes, nós já havíamos conhecido. Inclusive você pode relembrar algumas dicas de passeios nesse post e dicas gastronômicas aqui.

Quando ir

Você pode ir em qualquer época do ano para o Chile e Santiago. Porém, se o seu objetivo de viagem for esqui, vá nos meses de inverno. A temporada de neve começa no final de maio até meados de setembro, mas depende muito da quantidade de neve de cada temporada. Em 2012 fomos no início da primavera, em setembro; e, às vezes, quando neva bastante, ainda há neve e vale a pena ir nas estações de esqui. Não foi o caso da nossa viagem, pois naquele ano houve pouca neve. Esse ano fomos em maio, no outono, e ainda não havia começado a nevar. Detalhe que poucos dias depois que voltamos, houve uma frente fria no Chile que fez nevar inclusive em Santiago, o que é raro. Então acredito que para 2018 a temporada de neve promete!!!

Mas você pode ir ao Chile e para Santiago em qualquer época do ano. Sobretudo se você deseja conhecer os valles e regiões dos vinhedos e vinícolas.

Como passamos mais dias no Deserto do Atacama e já conhecíamos Santiago, nossa intenção era conhecer melhor o Valle de Casablanca que fica próximo a Santiago.

Visitando as vinícolas de Casablanca

O Valle de Casablanca possui um terroir único (termo específico para explicar o conjunto formado pelo clima, solo e tipos de uvas cultivadas numa determinada região). A região é bem próxima ao mar do Pacífico e a baixa a temperatura na região, cobre os vinhedos de neblina logo cedo. Esse conjunto de fatores favoreceu a produção de vinhos brancos e das uvas Chardonnay, Sauvignon Blanc, Merlot e a Pinot Noir. São as uvas dos meus vinhos favoritos e que agradam bastante o paladar feminino.

Pretendemos no futuro voltar ao Chile para conhecer outros vales com as uvas favoritas do marido 😉

O caminho para o Valle de Casablanca é o caminho do mar. O mesmo trajeto que você faz para as cidades costeiras de Viña del Mar e Valparaíso pela Ruta 68.

As vinícolas de Casablanca são todas jovens, moderníssimas e muito bonitas, bem diferentes das vinícolas mais tradicionais e centenárias de outras regiões do Chile. E boa parte dessas vinícolas investiram muito no enoturismo e além do tour pelos vinhedos e degustações, muitas vinícolas possuem hotéis/pousadas e charmosíssimos restaurantes. Sem contar que muitas fazem casamentos, como falei nesse post.

Nós queríamos muito conhecer algumas vinícolas no Valle de Casablanca, pois tudo é preparado para encantar os turistas que amam vinho e experiências enogastronômicas.

Como Ir.

Mas tínhamos pouco tempo. Somente dois dias inteiros para conhecer uma infinidade de vinícolas. Precisamos escolher e começamos definindo como ir. Optamos por contratar uma agência local, pois não queríamos alugar carro, já que iríamos beber, e uma agência que passasse segurança e comprometimento no atendimento, pois a primeira vez que fomos para Santiago fizemos o passeio de Val Paraíso e Viña del Mar com uma agência que não foi tão legal.

Nas minhas pesquisas encontrei a Enotour Chile e era perfeita para a nossa proposta de viagem. Eles fazer todos os passeios clássicos nos arredores de Santiago, mas também são especializados nos vales e regiões dos vinhedos, então fechamos com a Enotour Chile e conhecermos com eles as Vinícolas Veramonte e Viña Indómita

Começamos o dia com a Enotour Chile nos levando para a Vinícola Veramonte. Tivemos uma aula sobre vinhos, sobre o cultivo das uvas, conhecemos as salas com os tanques de aço inoxidável, com os ovos de concreto (para os vinhos brancos e espumantes) e finalizamos com a degustação com 4 vinhos

Vinícola Veramonte
Tanques de aço inoxidável na Vinícola Veramonte
Vinícola Veramonte
Vinícola Veramonte
Degustação na Vinícola Veramonte
Uma parte do vinhedo da Vinícola Veramonte

Na sequência o Sérgio (nosso guia) da Enotour Chile nos levou para a Vinã Indómita, que tem um mirante com uma vista linda.

Antes do tour almoçamos no restaurante da Viña Indómita e depois tivemos mais uma aula e conhecemos a sala de tanques, a adega com os barris de carvalho e finalizamos com mais uma degustação.

Mirante na Viña Indómita
Almoço da Viña Indómita
Almoço com na Viña Indómita
Barris de Carvalho na Viña Indómita
Degustação na Viña Indómita

Para ter uma ideia de como esse dia pelo Vale de Casablanca com a Enotour Chile foi incrível, fiz uma tentativa de vlog para mostrar para vocês um pouco sobre a Vinícola Veramonte e Viña Indómita. Aperta o play.

Podem acreditar que queremos voltar ao Chile e a Santiago por inúmeras razões: patagônia chilena, valle de colchágua, valle del maipo, temporada de neve e mais vinho e mais enoturismo. O Chile e Santiago é um destino incrível e muito variado para todos os tipos de viajantes e também para destinos românticos para viagem a dois e lua de mel.

Inspirem-se.

 

Lua de Mel. Dicas de Santiago – Parte II

Esse post era pra ter saído simplesmente ainda em 2012, mas toda aquela correria de final de ano e…  Bem não tem muita desculpa, foi falta de organização dessa new blogger, que ainda pena pra conciliar vida/trabalho/estudo/blog.

Porém, estou aqui e depois das dicas gastronômicas (e etílicas) de Santiago, essas são algumas dicas de passeio naquela cidade linda e arredores.

Ao contrário das minhas outras viagens, não fiz um roteiro mega detalhista de Santiago. E passada essa experiência, acredito que deveria ter contratado uma agência para organizar tudo… enfim… já foi.

Na reta final do casamento tudo é uma grande correria. As pessoas me diziam que todo dia teria que sair de casa pra resolver alguma coisa. E eu pensava: – mas tá tudo contratado!!! Sim, de fato está tudo contratado, mas todos os detalhes do casamento que você pensou e idealizou por meses, só começam a acontecer para os fornecedores faltando entre 45 a 30 dias.

Então somando trabalho e preparativos para o casamento (estresse e gripes ocasionais – no meu caso), o meu roteiro para Santiago era muito básico, daquele tipo de turista visitando a cidade pela primeira vez.

Como tudo tem uma primeira vez e se a sua próxima primeira viagem for a Santiago, essas dicas são super válidas.

Primeira coisa que você deve fazer é entrar no site da Turistik (empresa que realiza tours por Santiago e arredores) e fazer uma seleção dos passeios que irá fazer. Você tem a opção de comprar os passeios no site deles ou comprar quando estiver em Santiago. Deixamos pra comprar tudo lá.

Chegando em Santiago fomos ao Parque Arauco (um dos shoppings mais tradicionais da cidade, que fica em Las Condes) para comprar, num dos estandes da Turistik, o tour Hop on Hop off (o ônibus vermelho de turismo), naquele esquema que você tem um dia inteiro para fazer passeio completo pela cidade, descendo e subindo (nas paradas) aonde achar melhor e conhecendo o que quiser. No estande você pode comprar quaisquer dos passeios.

Caso você vá primeiro ao Mercado Central, lá também tem um estande da Turistik.

Recomendo logo de cara o Parque Arauco, porque você aproveita e vai até um dos quiosques de atendimento ao turista do shopping e solicita o seu  passaporte de compras (uhuuuu). É um livretinho com vários cupons de desconto em lojas, lanchonetes e restaurantes do Arauco e você terá a viagem inteira pra aproveitas os descontos.

E não é apenas isso. Comprando um passeio pela Turistik você também ganha o Turistik Pass outro livrinho de descontos para lojas, restaurantes e bares de Santiago (uhuuu duplo).

Os outros passeios compramos através da gerência do flat que ficamos e essa é uma outra dica.

Não imagino outro bairro melhor de hospedagem do que a Providência. Perto de tudo, shoppings, estações de metrô, supermercados, starbucks. Sem mais né?!

Escolhido o bairro, nos hospedamos no Austral Suites e a reserva foi feita pelo Booking. Super próximo a estação de metrô Pedro de Valdívia e praticamente vizinho ao Aqui está Coco e a uma Starbucks. Se você for andando de costas, chega nos dois locais em menos de 5 minutos, ou seja, é perto.

Ao Giratório uma caminhada de cerca de 10 minutos e ao Costanera Center, shopping novinho inaugurado em junho/2012 (se não me engano) uns 20 minutos.

Em relação aos demais passeios: Viña Del Mar/Val Paraíso e Concha y Toro, fechamos com a responsável pelos flats e tudo deu certíssimo. Pontuais e serviço bom. O valor é equivalente ao cobrados pela Turistik.

Valle Nevado e Farellones deixamos pra ir quando a temporada estiver aberta e bombando de neve, no final de setembro não valia tanto a visita.

Locais que você não pode deixar de conhecer em Santiago: Plaza de Armas (Catedral Metropolitana e Museu Histórico Nacional); Museu Nacional de Bellas Artes; Mercado Central; Plaza de La Constitución (Palácio de La Moneda); Patio Bellavista; Cerro Santa Lucía e o Parque Metropolitano onde fica o Zoo e o Morro San Cristóbal, que é dos melhores pontos para observar a extensão de Santiago (você pega um funicular ou ônibus para ir até o topo).

Uma fotinhas bem toscas. Lembrando que não sou fotógrafa. Ok?!

Lua de Mel Santiago1 Lua de Mel Santiago2 Lua de Mel Santiago3 Lua de Mel Santiago4 Lua de Mel Santiago5

No post há vários links e não estou ganhando 1 centavo por essas indicações. Estou apenas facilitando a sua pesquisa.

Somando esse post com o primeiro sobre as dicas gastronômicas de Santiago, dá uma viagem de 6 noites super divertida. Vai por mim.

Inspirem-se viajantes e noivos!!!

Lua de Mel: dicas gastronômicas em Santiago/Chile

A primeira dica gastronômica que posso dar sobre Santiago, na verdade não é bem gastronômica e sim etílica.

Geeeeeeeeeeeente: pisco sour!!!! É tipo massa, tipo felicidade numa tacinha. Perfeito para você ser ainda mais feliz (e rindo horrores) com o seu maridinho.

O NDE adverte: se for beber não dirija e afinal de contas em Santiago vocês irão se locomover de metrô ou táxi. Portanto: tá liberado o pisco sour!!!

No instagram compartilhei algumas fotos dos nossos jantares e de alguns brindes. Não dava para compartilhar todos os brindes, senão seria um piscogram. Mas é verdade: viciamos e trouxemos 2l para casa!!!

Voltando a falar sobre a parte gastronômica. O primeiro jantarzinho romântico foi no Restaurante Giratório (que dá uma volta de 360°) e, ao contrário da experiência de outros turistas, fomos super bem tratados!!!

A dica é: ao pedir o cardápio e a carta de vinhos, peça ao seu marido para sondar o time de futebol do garçom e deixo-os engatar uma conversa rápida sobre o time dele (elogiando claro). Diga que Ronaldo tá gordo, Neymar só joga bem no Santos e pronto… serviço de primeira!!!

A vista é bem linda e a sensação do restaurante dando a voltinha é super interessante (melhor ainda com espumante). Fizemos reserva antes, mas fomos numa segunda-feira e estava bem tranquilo. Acho que tinha mais brasileiros que santiaguinos.

Um brinde ao casamento e ao espumante delícia Casillero del Diablo.

No dia seguinte fomos ao Aqui está Coco, um dos melhores, senão o melhor restaurante de Santiago. Comemos de entrada uma ceviche delícia. Meu marido pediu um prato com cordeiro, que veio praticamente “O” cordeiro (muito bem servido – os homens curtem), pedi um prato com camarão, que também estava muito bom. Porém, o melhor de tudo foi o pisco sour a sobremesa: textura de chocolate… Di-VI-NO.

É tão frequentado por brasileiros que o restaurante tem cardápio em português. Então relaxe e aproveite. Relaxamos tanto que esqueci de fotografar os outros ambientes do Aqui está Coco, são vários e um encanto. A maioria dos ambientes com referências marítimas (o restaurante é especializado em frutos do mar), outro que lembra uma caverna. Tem o salão principal, um mezanino com vista para o salão principal, ou seja, é um charme e não deixe de ir.

Estávamos num apart hotel praticamente vizinho do Aqui está coco. Uma luta não ir todos os dias.

Textura de Chocolate e ao fundo: pisco sour!!!

Vamos brindar!!!

Fomos passar o dia em ValParaíso e Viña Del Mar e na paradinha para o almoço fomos levados pelo guia ao Castillo Del Mar em Viña. Alguns consideram esse restaurante um pouco mais caro do que o habitual, pois é aquele típico local que os guias encaminham os turistas.

Achei a comida ótima, a vista linda para o mar do pacífico e o pisco sour (já viciada) excelente. É bom que você faça sua pesquisa, mas nossa ida no Castillo foi super agradável. No som ambiente tocava Roberta Sá e garçom era um carioca. Estávamos em casa!!!  Recomendo.

Turista que é turista tem que comer a centolla (o tal do caranguejo metido a gigante).

Quem fez absoluta questão foi o marido e resolvi fazer a vontade dele (só dessa vez hahaha). Almoçamos no Mercado Central no El Galeon e acredito que eles devem ter pratos melhores no cardápio, porque o caranguejo daqui não é gigante, mas é bem melhor.

Porém, como faz parte de toda viagem se perder no metrô (Oi?!) e comer umas comidas nada a ver…  Vá curtir sua aventura e prepare o bolso: almocinho em torno de 300,00 Realzitos. Achei caro para um bichinho que era acompanhado por arroz branco, salada de alface, tomate e milho (enlatado) e batata frita.

E desculpe o mal humor da resenha. Foi a falta de pisco, pois estávamos nos reservando para a noite!!!

À noite depois de rodar pela cidade fomos tomar todas fazer um lanchinho no Liguria que fica na Pedro de Valdívia e estava lotadíssimo. Há três filiais do Liguria, fomos ao que ficava bem próximo ao nosso apart.

Ao contrário dos outros restaurantes em que você encontra mais brasileiros do que os locais, nesse bar só tinha a galera de Santiago e o povo vai lá para beber e jogar conversa fora.

As mesas da calçada estavam lotadas de fumantes e na parte interna do bar (para não fumantes), só era possível conseguir uma mesa no grito, ou seja: estava cheio. Pode parecer até uma furada, mas as entradas e sanduíches são ótimos e o pisco é de primeira.

É quase um boteco e uma delícia de lugar!!!

Essa é uma parte do meu look do dia de turista que bate perna e toma pisco com ausência de corretivo e batom. Dignidade? Passe amanhã!!!

No último dia a intenção era ir ao Como água para Chocolate próximo ao Pátio Bellavista. Porém, esperamos que você tenha uma experiência melhor do que a nossa, pois foi lá que descobrimos como o atendimento em Santiago pode ser ruim.

Não fizemos reserva para o almoço e para noite já estava lotado. Como estávamos andando pelas proximidades resolvemos voltar em torno das 18 horas…  Sequer entramos, pois uma mocinha bem mal educada disse rispidamente que estava fechado e só abriria às 19 horas e que não tinha como fazer reserva para aquela noite… Isso nós já sabíamos sem ela precisar repetir.

Enquanto o Como água para chocolate estava fechado, o Pátio Bellavista estava bombando para o HH. Dentre tantas escolhas, pois o local é quase um shopping de restaurantes/bares/pubs legais e alguns com música ao vivo e outras atrações culturais, optamos pelo OpenBox um bar de coquetéis, entradas e comida japonesa.

Foi lá que nos despedimos da cerveja chilena e do pisco sour em grande estilo, pois no horário que fomos o drink era dobrado… uhuuu

Da nossa listinha que não deu tempo ou não fomos atendidos dignamente o: Como água para Chocolate (dizem que serve comida afrodisíaca e afinal queríamos testar hahaha); o Coquinaria um mercado gourmet e restaurante; e, o Osaka que mistura comida peruana, tailandesa, japonesa e chinesa e fiquei super curiosa para conferir o exotismo dessa mistura. Aliás, o Osaka fica no W Hotel de  Santiago que tem outros restaurantes e lounges que parecem maravilhosos, com um clima super novaiorquino.

Santiago é uma delícia e queremos voltar.

Próximo post: dicas de passeios para sua lua de mel em Santiago.