Comprando o vestido de noiva em Miami

A Ana Cristina é uma noiva queridíssima do blog e acompanha o Noiva de Evasê desde os primórdios. Fico muito feliz em inspirar um pouquinho o casamento dela e também a busca pelo vestido de noiva perfeito.
Aqui entre nós. Ela amava vários vestidos de noiva que postava na fanpage do blog ou por aqui mesmo, mas antes de comprar o vestido, ela evitava ao máximo curtir as imagens e comentar os tais posts, para não dar a dica do vestido desejado ao noivo.
Bate aqui amiga!!! Também fui dessas!!! Vou deixá-las com o relato integral da Ana, porque achei totalmente relevante todas as informações. O post tá giga, mas ser noiva é padecer lendo em frente ao computador. Então, vamos todas dar as mãos, ler e anotar tudo!!! Em vermelho são minhas observações.
.
.
.
Acredito que o vestido de noiva é um sonho para todas nós, desde muito cedo pensamos no modelo dos nossos sonhos e buscamos torná-lo realidade. Comigo não foi diferente!!ODEIO tomara que caia, respeito quem gosta, mas acho super deselegante você estar em uma Igreja diante de um Altar e o tempo todo puxando o vestido pra cima (é assim que imagino…risos).
Meu vestido dos sonhos era um modelo Rosa Clará (já mostrado aqui num post), com mangas compridas de renda…LINDO!! As costas do vestido eram tão lindas que dispensava até mesmo o véu. E queria casar com aquele vestido (mesmo no calor de dezembro).
Bom, escolhido o modelo, o próximo passo foi procurá-lo. Pra casar com um vestido igual ao dos meus sonhos tinha duas opções: ou comprava o original ou mandava fazer. Resolvi primeiro me informar sobre preços de aluguel e a partir de pesquisas de internet (incluindo esse blog), (obrigada Ana) cheguei a conclusão que seria inviável alugar em Natal, os preços são impraticáveis.
Ainda me restava a opção de mandar fazer, mas como adoro viajar resolvi que meu plano A seria procurar meu vestido em Miami-EUA, caso não encontrasse, partiria para as costureiras.
Lá vamos nós para o planejamento da viagem, ainda no Brasil pesquisei muito em blogs de noivas, li bastante e cheguei a uma lista de lojas em Miami. Entrei em cada site, olhei os modelos e estilistas, vi os preços (sim, em alguns sites você pode até mesmo ver se o vestido cabe no seu bolso) e escolhi as lojas que realmente me interessavam, anotando os horários de atendimento, localização e telefones.
Importante ressaltar que em todas as lojas você precisa agendar a visita. Você pode até chegar sem agendamento, mas as lojas podem se recusar a atender caso não tenham horário e funcionário disponível ou você pode tomar um chá de cadeira. O agendamento pode ser feito no próprio site das lojas, mas achei melhor e mais seguro agendar por telefone, aí entrou meu noivo, que mora em Londres e podia ligar sem custos para os EUA. Passei pra ele todas as lojas e ele fez o agendamento dos horários pra mim, além de pegar outras informações importantes (quanto tempo demorava cada visita, se tinham vestidos pra levar na hora e se tinham vestidos para a mãe e irmã da noiva)….meu noivo num é um fofo, gente?? (É, sim Ana, por isso você vai casar com ele).
Uma coisa muito importante da minha pesquisa era essa informação sobre vestidos pra comprar e trazer para o Brasil comigo. Em muitas lojas você pode escolher o vestido e mandar fazer, mas depois você terá que voltar nos EUA (mais ou menos após 4 meses) pra pegar o vestido. Outra opção é você comprar o que eles chamam de “samples”, que são vestidos do mostruário. Na maioria das vezes você vai precisar de ajustes, mas eles podem ser feitos lá mesmo e em tempo hábil.
Impressionante como as lojas de vestidos de Miami recebem brasileiros, elas estão totalmente disponíveis pra se adequar as necessidades da noivinha, algumas atendentes até arriscam algumas palavras em português, primeiro mundo né?
Lojas agendadas, Miami lá vamos nós (viagem com toda família: pais, irmã e uma amiga) (era pra ter me chamado), a maioria das lojas de noivas fica numa rua chamada Miracle Mile em Coral Gables…dá pra ir de uma a outra a pé. Fiz um cronograma de 3 dias (a viagem era de 10 dias), com 3 lojas a visitar por dia. Marinheira de primeira viagem marquei uma loja às 10h (horário de abertura), outra às 14h (sim, pausa pro almoço porque noiva com fome não dá) (não dá mesmo) e a última às 17h (porque algumas só fechavam às 20h).
A primeira loja era a Coral Gables Bridal (http://www.coralgables-bridals.com/) que vende vestidos Pronovias, cheguei pontualmente, me apresentei e a atendente veio me mostrar os vestidos disponíveis pra comprar e levar na hora. Não gostei do atendimento, já vi outras noivas dizendo que foram super hiper mega bem atendidas, não foi meu caso (por isso cada experiência é importante). Os vestidos prontos para levar eram poucos, não me agradei de nenhum modelo, mas resolvi escolher dois pra experimentar.
photo 2
A atendente te leva pro provador e deixa toda a família do lado de fora esperando. Em nenhum momento elas te deixam sozinhas no provador com o vestido, pra você não ter oportunidade de tirar fotos (Ow). Bom, provei e mostrei pra família. Apesar dos vestidos não serem meu sonho de consumo, confesso que me emocionei ao provar pela primeira vez um vestido de noiva!!!! (Ahhh também fiquei). Os vestidos que escolhi eram na faixa de 2.000 dólares.
Em menos de 1h já tinha terminado com a primeira loja, aí resolvi ir na segunda loja Alegra’s Bridal (http://www.alegriasbrides.com/), que só estava agendada pras 14h, porque se houvesse disponibilidade já anteciparia a visita. Chegando lá a atendente me informou que era possível me atender antes do meu horário, mas que precisaria esperar 20min…ótimo!!! Enquanto isso, caminhei livremente pela loja olhando todos os modelos. Fui muito bem atendida nessa loja por Gigi, uma figura de pessoa, ela perguntou meu estilo e começou a me mostrar alguns pra eu selecionar os que queria experimentar.
Muitos modelos, dos mais variados gostos e preços. Escolhidos os vestidos fomos a um provador giganteeeeeeeeeeee, cheio de espelhos, novamente a família ficou esperando do lado de fora, mas poderiam ter entrado caso quisessem, vi outras noivinhas com família dentro dos provadores. Assim que entrei no provador Gigi me perguntou se o casamento era de dia ou de noite, quando disse que era à noite ela prontamente ligou luzes especiais pra realçar o brilho dos vestidos.
Comecei a interminável prova dos vestidos, veste, sai, mostra, volta, tira, veste outro etc. Uma coisa que minha mãe notou e depois falou é que nessa loja os tamanhos dos vestidos são enormes, eles te vestem e depois vem com uns pegadores (igual de roupa) gigantes e colocam pra ajustar no seu corpo. Segundo minha mãe, a gente não sabe como vai ficar depois dos ajustes, ela é meio desconfiada, mas acho que tinha razão (mãe é tipo necessária na hora da prova do vestido).
Os preços dos vestidos são variados, provei de 1.000,00 até 2.000,00 dólares. Gigi muito solícita me disse que estava acostumada a receber muitas brasileiras e que eu não precisava ter medo da alfândega, pois eles colocavam um preço diferente na nota (risos, muitos risos) (Rindo horrores).
Terminada a segunda loja, fomos almoçar pra depois tentarmos ser atendidos antes do agendamento da terceira loja. Lembra que falei que era marinheira de primeira viagem? Pois é, achei melhor deixar um tempo razoável de uma loja pra outra, porque não sabia o que ia encontrar e nem quanto tempo ia demorar.
Partimos pra terceira loja David’s Bridal ((http://www.davidsbridal.com), que ficava na mesma rua, quase ao lado de onde almoçamos, cheguei lá, me apresentei e disse que tinha um horário às 17h, mas que se possível gostaria de ser atendida antes (eram umas 13h). A moça me pediu pra esperar alguns minutos, nos sentamos e ela me deu uma revista com vestidos para eu escolher os modelos que queria experimentar: Oleg Cassini, Galina, White by Vera Wang… meus olhos brilharam (tô morta de curiosidade).
photo 3
Fui muito bem atendida, fomos levados pra dentro da loja, havia um tablado cheio de espelhos, minha família ficou sentada enquanto fui para um provador, a atendente trouxe sapatos, saia de tule e um corpete pra vestir e começou o desfile. Nunca provei vestidos tão lindos e eram todos no meu tamanho (ou seja, não foi necessário nenhum pegador gigante).
Bom, não sei dizer quantas horas passei na loja, mas lá encontrei O VESTIDO, totalmente diferente do meu vestido dos sonhos, mas quando experimentei tive certeza de que era ele, me senti elegante e chique em um Vera Wang belíssimo (é incrível como a gente sente isso).
Lá mesmo comprei os sapatos e o véu. Ah, precisava de dois pequenos ajustes, um no comprimento (somos baixinhas perto das americanas) e num ombro. Resolvi fazer lá mesmo, pois o vestido é uma verdadeira obra de arte, não daria pra ajustar no Brasil. A loja me cobrou 200 dólares (sim, eles aproveitam pra enfiar a faca nos ajustes e cobram uma taxa extra se você quiser receber em poucos dias, o que era meu caso).
O vestido com os ajustes, saia de tule, corpete, o véu e o sapato saiu tudo por 1500 dólares. Aqui no Brasil isso é o preço de aluguel de vestidos simples (tem até mais caso que isso apenas para primeiro aluguel)
Bom, comprei na segunda-feira, na quarta o vestido já estava pronto. Aí começou a outra missão: trazê-lo pro Brasil. Já tinha lido que as noivas pedem as comissárias da TAM pra guardar no cabideiro da Classe Executiva e assim o fiz. Até o RJ meu vestido veio num cabideiro, do RJ pra Natal trouxe-o no colo com a ajuda da minha irmã e amiga (fofas).
Nem preciso dizer que o vestido chamou atenção por onde passei né? Nunca recebi tantos “congratulations” dos americanos, do policial no controle do passaporte ao operador do raio-x, foi uma experiência inesquecível (Aiiii que lindo).
E agora estou eu, feliz, com meu vestido, esperando o grande dia!!!!
.
.
.
E gente, tomara que caia é lindo, mas nem toda noiva gosta, ok?!
Nem preciso dizer que a Ana está intimada a mostrar o vestido de noiva e o casamento aqui no Noiva de Evasê, não é?!
E se você quiser ler o relato de uma noivinha que comprou o vestido em NYC, é só clicar aqui!