Quadro de recordações de viagens

Hello Noivinhas de Evasê e casadas!!!

Quem me acompanha no snapchat viu que dia desses mostrei os 50 milhões de papéis que trago das minhas viagens. São passagens e tickets de trem e metrô, entradas e mapas dos museus, mapas do metrô da cidade visitada, cartões, livretos e entradas das atrações turísticas, de restaurantes, tudo. Sabe papel de tudo que a gente guardava na agenda quando era adolescente??? Então, quando viajo fico adolescente de novo e saio guardando tudo. São tantos, mas tantos papéis que os coloco em caixas ou pastas. A proposta sempre é fazer um scrapbook da viagem. Scrap é um hobby que amo, mas que dá um trabalhão e exige muuuuito tempo. Como tempo é um artigo de luxo que não disponho, acaba que fica tudo nas pastas sem visibilidade, detalhe que as fotos também ficam no computador, ou seja, tá difícil sair um scrapbook de viagem. Mas eis que um dia navegando na internet, me deparei com um post maravilhoso no Coisas de Diva e deu-se a luz para dar o devido destaque as minhas lembranças de viagem: um quadro de recordações.

É super fácil e prático de fazer e não exige nenhuma habilidade manual, além do básico de coordenação motora. Nesse post a Sabrina do Coisas de Diva explica todo o passo a passo.

E vocês podem conferir como é fácil nesse vídeo.

A questão é: já rodei a internet e as lojas em Natal e não encontro uma moldura caixa grande o suficiente para montar meu quadro de recordações. E eu preciso de 3 para relembrar 3 locais pelos quais nós (o casal) já passamos desde que nos casamos. A minha intenção era fazer uma surpresa no niver de casamento. E então eu queria a ajuda de vocês: se alguém conhece alguma loja, site ou se deparou por aí com molduras caixas, diga como encontrar porque estou precisando para ontem. E a minha retribuição pela ajuda é fazer um post com o tutorial do quadro de recordações.

Como sei que não sou a única que guardo milhões de papéis da viagens. Sim, felizmente lá no snapchat me disseram que não estou só, então vamos dividir esse projeto juntas.

Gostaram do quadro de recordações??? Acho que dá um bom presente, daqueles bem criativos.

assinatura

5 Dicas para reduzir os custos na Lua de Mel em Nova York

Hello Noivinhas de Evasê!!!

O dólar tá daquele jeito e todos os dias tem uma novidade (ruim) encarecendo o sonho de quem deseja passar a Lua de Mel fora do País, mais precisamente em Nova York que é um destino fabuloso e super romântico. Mas não se preocupem. Chamei a Laura Peruchi, que já foi Noivinha de Evasê e teve chá temático e casamento publicado no blog, que mora em Nova York e tem um blog maravilhoso que fala sobre moda, maquiagem e sobre a Big Apple que ela conhece mais do que ninguém pois mora lá. Então com vocês a Laura e 5 Dicas para reduzir os custos na Lua de Mel em Nova York.

Oi pessoal, tudo bem? Meu nome é Laura Peruchi, eu sou jornalista, moro em Nova York e escrevo um blog (www.lauraperuchi.com) com várias dicas sobre a cidade: lugares para visitar, onde comer, onde comprar… enfim! Meu objetivo principal é mostrar uma Nova York nada óbvia e, além disso, também escrevo bastante sobre como economizar na cidade. Por isso, quando a Lyanna me convidou para colaborar com um post falando sobre como reduzir os custos da lua de mel em Nova York, eu topei na hora! Portanto, vamos tirar da cabeça a ideia de que viajar pra cá é caro – sabendo fazer as escolhas certas e conhecendo algumas dicas e segredos, dá pra aproveitar a cidade sem gastar fortunas!

1- Reveja a hospedagem – é o item que mais encarece a estadia na cidade. As diárias nos hoteis de Manhattan já são caras por si só – mas, com a alta do dólar, os preços acabaram ficando mais salgados ainda. Se você quiser ficar na ilha mesmo assim, opte por um hotel como o Row. Ele foi reformado recentemente – seus quartos não são enormes, mas ele ganha pontos pela localização (próximo à Times, local preferido de muitos turistas). Caso esteja aberta para novas possibilidades, é bacana seguir o que muitos turistas vêm fazendo: procurar hoteis fora de Manhattan. Neste quesito, Long Island City, bairro tranquilo e seguro no Queens, tem sido o destino preferido de muita gente. Um dos hoteis com bom custo-benefício da área é o Home2 suites by Hilton. Café da manhã, quartos com cozinha e a pouquíssimos metros da estação de metrô (cerca de 10 a 15 minutos da Times Square).

foto 3

2- Restaurantes bons não precisam ser caros – É óbvio que jantar ou almoçar num restaurante legal deixa a lua de mel mais especial e Nova York é uma cidade tão rica em gastronomia! Há restaurantes com praticamente todas as cozinhas do mundo. Mas, lembre-se: um bom restaurante não precisa ser caro! E nem sempre o lugar mais caro é o melhor lugar. Quer comer uma comida italiana deliciosa? Vá ao Porsena (21 E 7th St): o local é bem aconchegante, com música ambiente e muita luz de velas. Os preços das massas giram em torno de U$20, as sobremesas ficam na média de U$8. Que tal um restaurante francês? Vá ao La Tarte Flambée (153 E 33rd St) provar as Tartes Flambées, um prato típico da região de Alsácia, França, que consiste basicamente em uma massa fina coberta com vários tipos de ingredientes, flambada. É muito gostoso, como uma pizza mais leve, preço médio de U$11. E que tal um mexicano mais animadinho, para um fim de tarde gostoso? Escolha o Tortaria (94 University Pl.): tem uma pegada de bar, com música, pouca luz e muita gente jovem. O melhor de tudo é o preço: burritos por U$7, quesadillas por U$6, sanduíches por U$8. Dá pra comprar só uns nachos pra comer com o guacamole divino e beber uns drinks. Sem dúvida, um ótimo lugar para terminar um dia em New York sem gastar muito.
E York tem muito mais restaurantes! Uma boa ideia para construir seu roteiro é usar aplicativos como Yelp e Foursquare – eles classificam os restaurantes pelas notas dos usuários e o Yelp mostra até o menu com preços de alguns deles.

3- Aproveite os programas gratuitos – engana-se quem pensa que em Nova York é preciso desembolsar a maior grana para poder usufruir das atrações da cidade. Você sabia que há muitas atrações gratuitas? Parques como o Central Park são uma das opções: seja para gastar mais tempo durante a primavera/verão ou para uma caminhada mais rápida nos dias de frio, esses locais ajudam a fugir um pouco da “loucura da cidade”. Os museus como Metropolitan e Museum of Natural History têm entradas sugeridas: você paga o que quiser pelo ingresso. Quer ver a Estátua da Liberdade sem gastar nada? Pegue uma carona com o Ferry, que faz o trajeto entre Manhattan e a State Island: o caminho garante uma vista para a Lady Liberty e para o skyline de Manhattan. Além disso, informe-se sobre os dias com entrada gratuita de outras atrações. O Brooklyn Botanical Garden, por exemplo, é grátis aos sábados, das 10h às 12 e às terças, o dia todo.

lua de mel em nova york

4- Seja criativa – o improviso sempre ajuda na hora de economizar e aproveitar a cidade. Troque um jantar caro por um piquenique no Central Park, com quitutes comprados no mercado. Atravesse a Brooklyn Bridge e vá observar a vista da cidade do lado do Brooklyn Bridge Park. Observe as cores do pôr do sol do Gantry Plaza State Park, em Long Island City. Se vier durante a primavera/verão, sinta-se num filme ao passear pelo parque de diversões em Coney Island (Brooklyn), enquanto toma um sorvete. Ainda durante a temporada mais quente, suba num rooftop no fim do dia – o 230 Fifth tem uma vista maravilhosa para o Empire State e, lá em cima, você só paga o que consumir. Todos esses são programas gratuitos e românticos que não vão te custar quase nada (só o passe do metrô mesmo!). Viva cada momento: respire, observe, contemple. Esta cidade tem uma surpresa a cada esquina.

foto 2

5- Saiba aproveitar os descontos – eu sempre digo que uma viagem para Nova York depende de organização e pesquisa. Como falei no início do post, é preciso conhecer alguns segredos e dicas. Os espetáculos da Broadway, por exemplo, oferecem várias opções para você comprar ingressos com descontos. O site Broadway for Broke People (broadwayforbrokepeople.com) lista as peças e musicais em cartaz e a melhor forma de conseguir ingressos mais baratos. Você sabia, por exemplo,que há loteria online para The Lion King, Wicked e Aladdin? Pois é, basta se cadastrar online e torcer: lottery.broadwaydirect.com . Outra dica para encontrar ingressos para atrações com descontos é conferir o site Gold Star (www.goldstar.com) – uma espécie de Groupon. Há ingressos para exposições, shows e espetáculos com descontos bem especiais.

foto 4

Espero que tenham gostado das dicas e, se quiserem conferir mais sobre a cidade, atrações, restaurantes – e até umas comprinhas, porque ninguém é de ferro, né? – é só acessar o meu blog www.lauraperuchi.com e meu canal www.youtube.com/c/lauraperuchiny

13059636_1056313301113054_1043699109_n

Laura muitíssimo obrigada por sua colaboração. Amei todas as dicas e tenho certeza que todas as leitoras também, pois suas dicas foram fantásticas. Não vejo a hora de colocá-las em prática!!!

Um dia em Giverny

Hello Noivinhas de Evasê e casais!!!

O post de hoje é especial para quem está planejando a Lua de Mel ou viagem romântica a dois para comemorar aniversário de casamento ou simplesmente para celebrar o amor. Já ouviu falar em Giverny??? Já ouviu falar em Claude Monet??? Os amantes das artes ou quem procura passeios lindos nos arredores de Paris provavelmente já ouviu falar em Giverny e a casa e os jardins de Monet. Nesse post vamos conferir como e quando ir a Giverny!

Em outubro de 2015 eu e meu marido fizemos uma viagem à Londres e Paris, que renderam 2 posts sobre nossos dias em Londres (confira aqui e e esse também) e um ensaio fotográfico em Paris. Como nossas viagens são avulsas e organizadas por nós, vou compartilhar mais essa dica e roteiro para quem se aventura como nós.

Seguimos o passo a passo para ir à Giverny, indicado nesse post do site Viaje na Viagem

QUANDO IR

Todos os dias de 25 de março até 1° de novembro, das 09:30 às 18:00. Os meses das estações da primavera e do verão são os mais indicados para a visita, mas o outono também guarda a sua beleza e cores, com a vantagem de ser menos cheio e com filas menores. Fui no outono, em outubro e recomendo.

COMO IR

De trem e ônibus: Pegue o trem Intercités que serve a rota até Vernon, na estação Saint-Lazare. O trem tem configuração de trem regional de alta velocidade. Compre passagem para a cidade de Vernon e na plataforma procure pelo destino Rouen, que é o ponto final da linha. Os trens partem a cada 2 horas e os melhores horários para aproveitar a visita são os das 8h20, 10h20 e 12h20. Desça na estação da cidade de Vernon. A distância até Giverny é de 7 km. Você pode pegar um ônibus que sai a cada 15 minutos, em horários coordenados com os trens que chegam de Paris.

COMPRANDO OS TICKETS

Para evitar filas e imprevistos o melhor é comprar pela internet.

O bilhete de trem você pode comprar no site da SNCF. Cada bilhete custa € 14,70 (ida e volta por € 29,40).

Essas passagens compradas pela internet são válidas por dois meses a contar da data da compra. Ao finalizar a operação de compra, selecione a opção de entrega “borne libre service”. Ao chegar na estação Saint-Lazare, procure a máquina de auto-serviço e passe o cartão de crédito usado na operação. Sua passagem será impressa e você deverá validá-la (“composter”), inserindo a passagem na máquina colocada na entrada da plataforma.

Em Vernon compre as passagens diretamente ao motorista do ônibus que vai para Giverny.

Compre a entrada para a Casa e os Jardins de Monet no site da Fundação Monet. Você imprime os bilhetes em casa e apresenta na entrada.

A VISITA

É necessário fazer uma conta no site da SNCF para comprar as passagens. Feita a conta, escolhida a data e horários dos trens compramos e no dia fomos até a estação Saint-Lazare imprimimos os bilheres, validamos, fomos para a plataforma e observamos o destino final Rouen. O trem é confortável, simples, estava com lotação média e a viagem é rápida. Quando menos esperamos chegamos em Vernon. Os ônibus são de fato coordenados com os horários dos trens. Compramos as passagens por € 8 (ida e volta) com o motorista e seguimos para Giverny.

GIVERNY (1)

GIVERNY (2)

Estava super ansiosa para chegar à Giverny e conferir se era como sonhava. Tanto Vernon como Giverny são cidadezinhas aprazíveis, fofas, interioranas, nem de longe lembra a agitação de Paris. Quando chegamos a Giverny fomos nos encaminhando para a Casa de Monet e como havíamos comprado as entradas pela internet, bastou apresentá-la e “furamos a fila”, que pela época do ano não estava grande. As pessoas tem receio de ir no outono achando que não estará florido. Ledo engano!!! Imagino que na primavera e no verão é algo apoteótico, mas achamos simplesmente encantador. Nós iríamos sempre e muitas vezes.

GIVERNY (3)

GIVERNY (4)

GIVERNY (5)

GIVERNY (6)

Começamos a visita pela Casa de Monet (não pode fazer fotos no interior), seguimos para os jardins, ficamos hooooras, passamos pela loja do museu, algumas coisas custando pequenas fortunas (EM EUROS), mas é possível comprar livros, cartões postais e gravuras com réplicas dos quadros.

Comemos por um dos cafés de Giverny. Existem muitas opções próximo ao centro turístico e nas redondezas da Casa de Monet. Partimos de Paris no trem das 10h20 e voltamos por volta das 16h, confesso que nem lembro, mas confira o horário do trem da volta.

GIVERNY (8)

GIVERNY (9)

GIVERNY (10)

GIVERNY (11)

GIVERNY (12)

GIVERNY (13)

GIVERNY (14)

GIVERNY (15)

GIVERNY (16)

GIVERNY (17)

GIVERNY (18)

GIVERNY (19)

GIVERNY (20)

GIVERNY (21)

GIVERNY

GIVERNY (7)

Se iríamos de novo??? Agora!!! Amei tanto. É muito lindo e mágico. Pode parecer o maior clichê, mas senti como se estivesse num quadro de Monet!!! Passeio recomendadíssimo!!!