Palavra de Noiva

Olá, noivas queridas!!! Hoje tem edição especial do Palavra de Noiva com muitos alertas e dicas importantes para vocês: cuidado com alguns fornecedores; façam degustação; observem os contratos e pagamentos e, sobretudo, não façam da festa um objetivo de vida, se algum imprevisto acontecer: tenha um plano b ou simplesmente relaxe!!!

Não vou falar muito porque esse post é delas e essas recém casadas capricharam pra vocês:

Noiva: Tatiana | Casamento: 07/06/2014, Natal/RN.

tatidavi (39)

1. O que teria feito diferente: Parece absurdo mas, eu cometi o erro de contratar um buffet sem fazer uma degustação. Quarenta (40) dias antes do casamento fiz a degustação e para o meu desespero, não gostei da comida. Resultado: Fiz um destrato, perdi dinheiro, e tive que correr atrás de outro buffet que se encaixasse nas minhas exigências. Com certeza hoje eu faria tudo bem diferente, só contrataria depois de degustar. Mas, no dia, tudo deu certo.

2. Do que me arrependi: Fiz meu casamento em 3 meses e um dos meus maiores arrependimentos foi ter feito o pagamento de 80% dos fornecedores à vista, na assinatura do contrato. Ocorre que, uma vez fazendo o pagamento lá atrás, quando chega na semana do casamento alguns fornecedores surgem com coisas inesperadas e ao mesmo tempo indispensáveis ao seu casamento – na opinião deles, frise-se bem – e que, no momento da assinatura eles simplesmente nem mencionam. A realidade é que alguns fornecedores são desonestos sim, e que enquanto puderem “tirar” dinheiro de você, vão fazer. E no dia, eles terminam fazendo o que querem e não o que estava acordado.

3. Houve algum contratempo: Não, com as bênçãos de Deus o casamento ocorreu exatamente como sonhava, na mais perfeita paz. Uma cerimônia tranquila e limpa.

4. Para as futuras noivas: Acho que um bom conselho seria o de fazer um casamento do jeito que você sonhou, com a sua cara e a do seu futuro marido, e não com o que está na moda ou com o que o fornecedor “x” acha indispensável para ter – não aceite uma festa impessoal e idêntica a tantas outras. A festa é sua e quem manda nela é você, seja firme e segura. Não gaste além do que havia estipulado no início, se for fazer o gosto dos servidores nunca haverá dinheiro o bastante e sempre haverá algo a mais para comprar. Eles sempre dão um “jeito” de tentar tirar mais dinheiro de você, alguns são verdadeiros mercenários. Outros conselhos seriam: Não contratem nada de comer sem antes fazer degustação; Não façam pagamentos à vista se tiver tempo hábil para parcelar; No dia do casamento tenha a consciência de que tudo o que você poderia ter feito, já fez. Se algo der errado a culpa não foi sua e nada do que vier ocorrer deverá estragar aquele momento tão esperado. Se não for assim, até um arranjo fora do lugar que você imaginou tirará o brilho do seu olhar. (Falando em arranjo: MUITA atenção com DECORADOR.)
E o principal entre todos os conselhos é:
Não passem um ano de sua vida só programando uma festa que durará, no máximo, 5 horas! Passe um ano de sua vida se preparando espiritualmente para a união que está por vir. O casamento começa quando a festa termina, e ela não é o mais importante e nem a melhor parte. Cuidado com a venda da ilusão de que a festa é um momento única na vida, todos os dias são únicos e o que importa não é a iluminação estar perfeita, o suco gelado e sim você ter um casamento longo, feliz e abençoado.

Relembre o casamento da Tatiana: Casamentos Reais | Tavi e Davi

Noiva: Paula Caroline de Oliveira Brito | Casamento: 06/09/2014, Natal/RN | Convidados: 160 pessoas

17

1. O que teria feito diferente: Mesmo tendo amado meu casamento, o que hoje eu faria diferente é a busca por fornecedores. Eu pesquisaria muito mais, procuraria conhecer melhor o trabalho de alguns, ouviria opiniões de outras clientes e assim evitava alguns gastos desnecessários e probleminhas no dia.
Teria agendando diferente também minha lua de mel, para que não fosse tão próxima do dia do casamento. Teria deixado pelo menos uns 3 dias de folga.

2. Do que me arrependi: Uma coisa que posso dizer que me arrependi foi por não ter escutado o meu sexto sentido sobre o vestido de noiva. Como eu sabia que ia dançar muito, pensei no primeiro momento em usar um segundo modelo para a festa, só que curto. Por ter AMADO o meu vestido, acabei deixando a ideia de lado, pois não queria ter de tirá-lo. Como ele tinha cauda, por mais que eu a prendesse, ao dançar ela acabava caindo e as pessoas pisando encima.
Aconselho as noivas que gostam muito de dançar e sabem que terão uma festa agitada, para pensarem seriamente no assunto.

3. Houve algum contratempo? O decorador esqueceu as tiaras das noivinhas no dia, como eu sabia que teria de ser maleável porque não tinha mais o que fazer, acabamos improvisando com flores naturais.
A cerimônia era ao ar livre e choveu um pouco minutos antes de iniciar. Como eu já havia combinado com as cerimonialistas, elas correram para secar as cadeiras e tudo correu normalmente!

4. Para as futuras noivas: Mesmo que você se programe em todos os mínimos detalhes, lembre-se de que você depende de terceiros, e imprevistos podem ocorrer. Seja maleável e tenha sempre um plano B.
Uma grande dica, e talvez a que os fornecedores odeiam rsrs, é para “ficarem no pé” deles. Pelo menos dos principais. Tenham certeza de que o pedido vai ser atendimento conforme o fez. Se você é organizada, exija que seu fornecedor também seja! E deixe sempre seu cerimonial informado sobre cada detalhe.

Relembre o casamento da Paula: Casamentos Reais | Paula e Neto

Noiva: Hellen Freire | Casamento: 23/08/2014, Natal/RN | Convidados: 250.

24

1. O que teria feito diferente: Cá pra nós, achei tudo muito lindo, quando revejo as fotos fico ainda encantada (Luciano me surpreendeu em tudo e eu simplesmente amei) e creio que sempre ficarei com os olhinhos brilhando todas as vezes que rever e lembrar os momentos deste dia que é único na vida de um casal. Hoje passado todo estresse da organização de um casamento, eu tenho pra mim que se tivesse me organizado mais cedo em alguns itens, nas vésperas pudesse me atentar mais a detalhes, (detalhes sempre fazem a diferença!) e teria incrementado mais algumas coisas (sempre que passa percebemos que podíamos melhorar algo, mesmo amando tudo). No meu caso, poderia ter dado um up maior nos banheiros da recepção, lugar que realmente é bem feinho lá, ou ter caprichado na pista de dança, ou quem sabe colocar mais detalhes fofos para receber meus convidados na cerimônia (baleiro, pipoqueiro, algodão doce… algo pra distrair um pouco já que me atrasei em meia hora).

2. Do que me arrependi: Meu casamento foi ao ar livre no mês de agosto, o mais agitado quando se fala de vento. Nesses 1 ano e 3 meses de organização sonhava todos os dias com esse dia, em agosto de 2013 estava angustiada com a chuva que não parava nunca, a chuva se prolongou mais do que o esperado naquele ano e em 2014 se repetiu a mesma história. Eis que chegou o meu mês, cada fim de semana que antecedia o meu era uma lenda, reparei que sempre chovia no final da tarde do sábado e o domingo inteiro (coisa de noiva psicopata analisando o tempo kkkkkkkkkk), já estava meio tensa pensando na chuva, mas ao mesmo tempo pensava que nunca ia abrir mão de ter tudo aberto por causa de uma chuva (casaria na chuva mais não queria casar em baixo qualquer espécie de teto). Chegou o dia do meu casamento, gente aí um pequeno arrependimento, passei tantos dias perdendo o sono com sonhos loucos por causa do casamento que pensei que isso ia se repetir na véspera, só que foi o contrario, dormi demais, acordei e dormi de novo, quando olhei a hora já estava atrasada pro salão, hoje penso que não pegaria um dia da noiva tão completo, pois muitas coisas poderiam ter sito feitas dias antes e aproveitado pra dormir mesmo no dia e só fazer massagens, cabelo e make, podia até ser em casa ou num hotel. Sim, eu senti falta de dormir mais, na madrugada estava passada de sono.
Continuando…
Passei um dia bem tranquilo, estava muito relax, não me estressei absolutamente com nada, mas também não tinha coragem de abrir a cortina do quarto pra saber como tava o tempo. Começamos a fazer o cabelo e acho que gastamos infinitos grampos pra prender véu, cabelo e tiara, sem contar as milhares de “sprayzadas” de laquê (que bobinha o vento não tava pra brincadeira), terminamos e meu pai chegou. No decorrer do caminho só via os coqueiros quase que tortos de tanto que ventava, mas eu pensava: Vai dá tudo certo, tem quase uma caixa de grampo na minha cabeça e um vidro de laquê kkkkkkkkk. Gente aí vem o meio arrependimento, quando foi a hora da minha entrada, pensei por um momento que minha cabeça voaria com véu, tiara e cabelo junto, o vento estava tão forte mais tão forte, que parecia que eu tinha uns 500 quilos ao andar, estava muuuuuito pesada e tentando manter a posse. Hoje tenho minhas dúvidas se continuaria com o véu, mas não me arrependo por completo porque véu é tão lindo, tão noiva.

3. Houve algum contratempo: Nem foi contratempo, foi até uma surpresinha, esqueci que tinha ganhado um serviço de massagem nos pés para meus convidados, inclusive nem pro meu cerimonial eu tinha avisado, mas graças que Luciano sabia e tinha preparado um cantinho já estratégico pra elas, porque eu mesma só lembrei depois que elas tinham chegado vestidas de gueixas e meu cerimonial foi me perguntar o que seria. Outro contratempo foi ter esquecido o meu voto, tinha que entregar um envelope que ficaria sob a responsabilidade do cerimonial, acabei não entregando o envelope dos meus votos.

4. Para as futuras noivas: Já dizia o ditado: “Se conselho fosse bom, não se dava, se vendia”, mas vou vender 0800 pras meninas kkkkkkkkkkk. Com a organização do casamento aprendi que mesmo que a gente tente centralizar tudo na gente e no nosso gosto, nunca irá sair absolutamente igual ao que idealizamos e não adianta gritar, chamar os bombeiros, a polícia e afins, que nada vai mudar. Temos que curtir e curtir muito, pois no outro dia já começa a bater saudade e tenho certeza que baterá às nossas portas todos os dias. Não deixe nada para fazer na semana do casamento, a não ser descansar.
Confie nos seus fornecedores, se você os escolheu é porque acredita no seu potencial.
Eu só tive reunião final com 2 fornecedores, banda pra escolher repertório e filmagem pra fechar os horários e lugares de gravação. Achei ótimo, pois muitas noivinhas vão a todos seus fornecedores, o que eu particularmente acho bem cansativo e chato, os cerimoniais são pra isso.

Relembre o casamento da Helen: Casamentos Reais | Hellen e George

Gente, como é engraçado que as noivas são sempre iguais! Mas nós nunca organizamos um casamento antes ou uma grande festa com tantos detalhes, é normal a tensão, a ansiedade e muitas dúvidas. Também é natural que a gente escolha um fornecedor que depois percebemos que foi uma má escolha. Rescindi o contrato com um cinegrafista e contratei uma outra filmagem que me realizou, também cheguei atrasada no meu dia de noiva e não pintei o pé, só passei a base 🙂 , fiquei chateada com a orquestra e bati o carro faltando 8 dias para o casamento, porque não tirei férias e estava dirigindo com a cabeça no casamento, tentando resolver tudo de uma vez.

Super obrigada às minhas noivinhas de evasê e agora casadas. Essas dicas são preciosas e vocês devem ouvir a voz da experiência 😉

Deixe seu comentário