Lista de Convidados – Parte II

Esse é um assunto que rende muitas dúvidas e dificuldades.

Talvez a sua dúvida seja a minha e talvez a minha dica ajude você. Como a missão do blog é compartilhar e promessa é dívida, essa é a  parte II da série sobre Lista de Convidados.

No primeiro post foram dadas dicas e sugestões de como elaborar uma lista. Não deixe para fazer isso em cima do casamento. É importante respeitar o check list e começar 1 ano antes, porque a lista e todas aquelas fases de conversa e negociação leva em média 3 meses para ser concluída.

Elaborada a lista por ordem alfabética e já feita aquela disposição de 25% do número de convidados para pais do noivo, 25% para os pais da noiva e 50% para os noivos (essa é apenas uma sugestão), é importante alimentar a lista com os nomes, endereços e os respectivos acompanhantes que também integram a lista de convidados.

Por exemplo:

Situação 1

Vocês convidarão um amigo e ele tem uma namorada. Faça a lista com o nome dele e ao lado adicione 1 acompanhante. O que totaliza 2 convidados.

Situação 2

Seus pais convidarão uma família de amigos (pais e 2 filhos). Faça a lista com o nome do cabeça da família, geralmente o pai. Adicione ao lado 3 acompanhantes (esposa + 2 filhos). Totalizando 4 convidados.

Essa lista hipotética com a situação 1 e 2, totaliza 6 convidados e 2 convites.

Veja como é importante você começar esse trabalho cedo, pois essa contagem será fundamental na hora de contratar o fornecedor e o número de convites e a elaboração do endereçamento.

Um outro ponto essencial diz respeito aos convidados que irão para a cerimônia religiosa e aqueles que além da celebração, também estão convidados para a festa.

Claro que o ideal é que todos os convidados possam comparecer tanto a cerimônia na igreja como na festa, mas no mundo real – infelizmente – existe o tal do orçamento e os cortes. Nesse ponto é que entra o famoso, famigerado, deselegante, necessário e popularmente conhecido  “vale-empada”.

No exemplo acima da situação 2, suponhamos que seus pais queiram convidar toda aquela família, mas apenas 1 dos filhos foi contabilizado como convidado. Nesse caso, dentro do convite haverá apenas 3 senhas individuais (o nome correto do cartãozinho).

É chato delimitar número de convidados com senhas individuais? É, vamos reconhecer isso e não vamos negar. Porém, essa é uma realidade a que todo mundo já está habituado. Afinal, ninguém aqui é filho de Eike Batista se cuida Thor !!!

No exemplo da situação 1 nem precisaria incluir as senhas individuais, pois o amigo e a acompanhante são convidados tanto da cerimônia como da festa, mas por questão de praticidade e uniformização dos convites, é melhor incluir as senhas.

E eis que temos um outro ponto importante: o R.S.V.P (respondez s’il vous plait) – responda, por favor – que é a confirmação para a recepção, que vem com um número de telefone e o nome do responsável que receberá as ligações. Muitos cerimoniais trabalham hoje em dia com a confirmação através do próprio site do cerimonial.

Se no seu casamento todos os convidados da cerimônia religiosa, também comparecerão à festa, inclua o R.S.V.P no próprio convite, se você vai utilizar as senhas individuais, o R.S.V.P deverá constar no verso do cartãozinho referente à recepção.

No Brasil o R.S.V.P é mais respeitado em algumas cidades, outras não. Para isso existe o R.S.V.P ativo, quando o cerimonial liga para o convidado e pede a confirmação para a festa.

O R.S.V.P é importantíssimo porque dele depende os ajustes finais para bebidas, buffet etc. É o momento que se contabiliza de fato quantos convidados comparecerão ao evento e deve ser feito até 7 dias antes da festa.

Noivinhas esse post ficou gigante de enorme, não foi?! Não sei nem se você teve paciência para ler até aqui.

Se você foi destemida até esse ponto, decidir que vou tratar sobre as formas de endereçamento dos convites num post específico, não quero cansar a beleza de vocês em frente ao computador.

Então não me abandone e volte para ler um próximo post sobre esse assunto.

E no final tudo será uma festa.

Destination Wedding em Paris

Noivinha você que ainda está na fase de planejamento e decidindo sobre o estilo da cerimônia e festa do casamento, já pensou na possibilidade de um Destination Wedding?!

Esse não é um assunto novo aqui no Noiva de Evasê e sobre esse tipo de celebração que une festa e viagem, falamos neste post aqui. Mas se você pensava que esse era um sonho um tanto quanto impossível, saiba que a cada dia os noivos brasileiros estão aderindo a ideia de casar e viajar.

Uma matéria no Portal G1 tratou sobre as vantagens do destination wedding nessa matéria. (clica no link).

Para animar você e seu noivo que estão nessa fase de indecisão, curta as imagens de um lindo Destination Wedding em Paris.

Não deixa de ser uma economia, pois um Destination Wedding em Paris já é destino certo para Lua de Mel. E vocês se recordam do post com um guia básico de Lua de Mel em Paris e a dica dos cadeados na Pont des Arts? Clica aqui e confira o que só o Noiva de Evasê procura pra você!!!

Se ainda estivesse na fase de planejamento inicial, sem dúvida essa seria uma opção.

Inspire-se!!!

fotos: Wisner Photo

Lista de convidados – Parte I

Esse é o assunto mais difícil e delicado em relação a organização e planejamento do casamento e resolvi dividir em duas partes (para que eu sofra menos).

Essa primeira parte  será mais concentrada em dicas e sugestões para tornar mais prática a elaboração da lista, tentando abordar as situações possíveis de cada noivinha.

Na segunda parte, vamos partir do princípio que a lista já estará elaborada e as dicas serão de etiqueta, endereçamento, RSVP e o que mais surgir.

Na série de posts sobre planejamento, falamos sobre estilo e orçamento nesse post aqui e sobre o check list aqui. É importante retomar esses dois assuntos, porque eles serão uma direção a seguir para fechar uma lista de convidados.

A partir do momento que noivos ou noivos e pais decidirem o tipo de cerimônia/recepção e o orçamento disponível, o próximo passo é começar a quebrar a cabeça com a lista de convidados. Dois critérios pesam bastante: o orçamento e o grau de intimidade com os convidados.

Essa é uma das primeiras decisões e uma das mais importantes, pois o número de convidados reflete diretamente na contratação de vários serviços como, o espaço para recepção,  buffet, bebidas, doces, lembranças etc.

Comece a elaboração da lista por volta de 1 ano antes do casamento. E quando digo quebrar a cabeça, não é exagero meu. É difícil, super difícil, pois há um orçamento e mesmo que você tenha 1 milhão de amigos e queira a presença de todos, uma festa com um grande número de convidados é muito dispendiosa, então querida noivinha – infelizmente – cortes serão necessários.

 

 

Algumas dicas práticas para tornar essa tarefa menos complicada:

Defina o orçamento e o estilo da festa: um mini ou destination wedding; uma festa grande para um número bem maior de convidados (sem muitas restrições para cortes de convidados);  ou, uma festa intermediária. Tomada essa decisão é hora de colocar os nomes no papel na planilha.

Hoje em dia alguns casais bancam o próprio casamento e recepção e há outras situações em que os pais pagam boa parte de todas as despesas ou tudo. Isso será importante para estabelecer qual a margem de convidados poderão ser convidados pelos noivos e seus pais. Lembrando que, se os pais estão bancando a festa, é normal que queiram participar mais efetivamente de todo o planejamento e  influindo diretamente na escolha dos convidados.

Não esqueça que tudo isso é muito delicado e mesmo que os pais tenham pouca ou nenhuma participação financeira nos custos da festa, provavelmente eles querem convidar amigos antigos, que participaram da vida da família e desejam compartilhar esse momento de felicidade, então converse e abra seu coração para recepcionar a turma dos seus pais com amor, carinho e amizade.

Uma regrinha básica para facilitar essa divisão de convidados fica assim: 25% para os pais do noivo; 25% para os pais da noiva e 50% para os noivos. Essa é uma sugestão que você deve adequar a sua realidade!!!

O dever de casa é cada grupo (pais dos noivos e noivos) fazer listas prévias e bem abrangentes e depois reuni-las e então fazer os cortes de acordo com o orçamento e o estilo da festa.

E os critérios que cada casal e família vai utilizar para fazer esses cortes é super particular. Em regra, os conhecidos que ficaram pelos caminhos da vida e não convivem tanto com os noivos são fortes candidatos a serem retirados da lista. Aliás, se vocês não tem tanta convivência com alguém, não há tantos motivos para convidá-lo para uma festa que, sendo enorme ou mini, é uma celebração de amor e amizade, não faz sentido convidar só por convidar. Convide quem participa da sua vida e que você sabe que terá o prazer de ir a sua festa e vocês de recebê-los.

O mesmo é válido para parentes distantes, tios dos seus pais, primos que você mal conheça, colegas de trabalho que você convive apenas por razões profissionais, essas pessoas não precisam ser convidadas.

Mas veja bem, essas são dicas bem genéricas e cabe aos noivos e famílias ponderar a relevância do círculo social de cada família.

Estando com a lista definida, relacione os nomes por ordem alfabética e contabilize os nomes dos acompanhantes, com endereço e telefone para o momento do envio dos convites.

Noivinha (segura na minha mão e me abraça) acredite em mim: no final vai dar tudo certo!!!!!

 

 

 

Em breve a Parte II.