1 ano do casamento: Kate e William

Ano passado, no dia 29/04, cheguei atrasada na pós graduação (eu e todas as mulheres), minha mãe perdeu o horário do trabalho e o mundo todo só falava sobre o casamento de princesa que estávamos carentes em assistir.

Grande era a especulação sobre qual o designer assinaria o vestido da noiva, se haveria alguma referência à sogra, simplesmente a Princesa Diana, cujo casamento é mais do que uma referência de moda ou estilo, mas também histórica.

Você já pensou no peso em ser comparada com Lady Di??!! Eu estaria passando mal até hoje, 1 ano após a celebração do casamento.

E o vestido que deveria ser sóbrio e elegante, afinal seu casamento é com o neto e sucessor da Rainha  Elizabeth II? Eu continuaria passando mal até hoje.

Mas Catherine Middleton foi inteligentíssima e noiva como nós, procurou referências e imagens de vestidos de noiva que deveriam se encaixar ao seu estilo e com a elegância e sobriedade necessária a um casamento Real, no caso a Realeza Britânica, uma das mais tradicionais do globo terrestre!!! (adoro exagerar)

Porém, para evitar comparações com a sogra mítica, Kate Middleton usou o vestido assinado por Sarah Burton da grife Alexander McQueen  com uma  inegável releitura do vestido icônico usado por outra Princesa, Grace Kelly e esse assunto foi tema de um dos primeiros posts do Noiva de Evasê!!! Confere aqui!

Porém o vestido de Kate Middleton é o vestido dela, modernizado e adequado ao estilo de uma noiva tradicional, romântica, elegante, mas que integra os nossos tempos, portanto o toque de ousadia e sensualidade de Kate, fica por conta do decote em “V”, numa referência de que ela seguirá a tradição, mas sem abrir mão de ser quem ela é!!!

Muito se falou sobre o vestido de Pippa Middleton ser branco e praticamente um vestido de noiva.

Na Europa e EUA não existe a tradição tão forte quanto aqui da “proibição” do uso do branco por convidadas ou madrinhas. Além do mais ela era a irmã da noiva e bridesmaid (dama de honra), então erae perfeitamente possível usar aquele vestido e nesse caso não havia gafe por usar o branco.

Mas acredite e pense sobre isso: é uma belíssima inspiração para vestido de noiva!!!

A verdade é que o casamento de Kate Middleton e William é a referência atual que temos de estilo e casamento de contos de fadas. Apesar de outros casamentos Reais que aconteceram ano passado, nenhum causou o mesmo efeito marcante!!!

Sonhe e inspire-se!!!

Imagens Getty images

Noiva ícone: Jacqueline Kennedy

Essas noivas tão marcantes, que chamo de ícones, tem uma presença, um estilo ou fazem parte – literalmente – da História, de uma forma que mudam uma época.

Essa é a visão que tenho de Jacqueline Kennedy Onassis.

Ela nasceu no Estado de Nova Iorque e se chamava Jacqueline Lee Bouvier. Era a filha mais velha de John Vernou Bouvier III, que era corretor de Wall Street e de Janet Norton Lee Bouvier  Auchincloss Morris (mas que nome gigante). Seus pais se separaram quando ela ainda era uma garotinha.

Jackie teve uma infância aristocrática e estudou em escolas renomadas. Graduou-se em literatura francesa pela Universidade George Washington e em 1951 conseguiu seu primeiro trabalho no jornal Washington Times-Herald.

Em março de 1952 ela acabou um relacionamento com John Husted e naquele mesmo ano, em maio, ela conheceu John F. Kennedy. Alguns meses depois de conhecê-la, Kennedy convidou-a para sair e então começaram o namoro que rapidamente evoluiu para o noivado.

Jackie e Kennedy casaram-se em 12 de setembro de 1953, em Newport (Rhode Island) e a cerimônia, na fazenda Hammersmith, contou com nada menos que duas mil pessoas.

O vestido foi desenhado por Anne Lowe e feito com 50 metros de tafetá de seda marfim, com uma enorme saia bufante, com aplicações e barra plissadas e o véu era da avó de Jackie.

O vestido atualmente está exposto na Biblioteca JFK em Boston e as fotos em preto e branco não retratam a beleza do vestido.

Em 20 de outubro de 1968, Jacqueline Kennedy casou-se pela segunda vez com o magnata grego Aristóteles Onassis, usando um vestido da alta costura verão 1968 de Valentino.

Tudo que a gente quer é sair por aí com um mega óculos fazendo a Jackie O.

Jackie O. não foi apenas uma noiva ícone, é uma mulher incrivelmente elegante, que por seu estilo é referência até hoje.

fotos: reprodução

Noivas que inspiram: Audrey Hepburn

Iniciei uma séria de posts sobre noivas que me inspiram e acredito que também inspirem várias outras noivinhas ou qualquer outra pessoa que admire a beleza, o carisma, o talento e a força de mulheres como Grace Kelly e Lady Di.

Hoje vou falar sobre uma diva e ídola: Audrey Hepburn.

Sou fã do tipo de ter alguns filmes (tem um box com os principais que ainda não encontrei por aqui para comprar) e biografia. Amo Audrey e num domingo chuvoso milagre em Natal como hoje, coloco Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s) para assistir pela milésima vez.

O nome de batismo era Audrey Kathleen Ruston. Filha única de Joseph Anthony Ruston  e Ella van Heemstra (segundo o wikepédia uma baronesa holandesa descendente de reis ingleses e franceses) OI?! . Posteriormente o pai anexou o sobrenome Hepburn e Audrey tornou-se Audrey Hepburn-Ruston.

Seus pais se separaram e a mãe levou-a para a Inglaterra, na sequência  Holanda e após o final da Segunda Guerra, de volta para Londres, onde ingressou na renomada escola de dança Marie Lambert.

Porém, a professora de balé foi incisiva cruel afirmando que Audrey era alta demais para ser uma bailarina de sucesso.

Pobre Audrey!!!

Mas sabe quando se fecha uma porta e se abre um janelão para a fama? Foi o que aconteceu com a diva.

Audrey trabalhou um tempo como modelo e resolveu investir na atuação. Depois de pequenos filmes, em 1952 viajou para a França para a gravação de Montercarlo Baby e, no saguão do hotel em que estava hospedada com o elenco, foi vista pela escritora Collette, que trabalhava com a montagem para a Broadway da peça Gigi, cujo papel ainda não tinha intérprete e então decidiu que Audrey seria Gigi.

Quem disse que a vida é fácil, bebê!!??

Foram muitas críticas a essa atuação, até que um tempo depois, ela foi aprovada para o elenco do filme A princesa e o Plebeu e acabouganhando o Oscar de Melhor Atriz pela interpretação da Princesa Ann.

Confer que lindo Audrey Hepburn como noiva no cinema em A princesa e o Plebeu.

E Funny Face (Cinderela em Paris)

Noiva bailarina

Na vida real Audrey Hepburn casou-se com Mel Ferrer em 1954.

E a título de curiosidade fanzística-fashionista, no seu segundo casamento com Andrea Dotti em 1969, ela usou um Givenchy cor de rosa.

Por sua postura e elegância, Audrey Hepburn fez vários editoriais como noiva.

A dica que fica para nós noivinhas é cuidarmos das costas (e lembrar da mãe mandando corrigir a postura) e nos inspirarmos nesses vestidos anos 50 de cintura marcada que estão super em evidência nos nossos dias.

fotos: reprodução